Perdi a carteirinha de vacinação, e agora?

Perdi a carteirinha de vacinação, e agora?

Primeira orientação é buscar o registro no local em que os imunizantes foram aplicados. Confira o que dizem Ministério da Saúde e Sociedade Brasileira de Imunizações sobre o tema.

Em meio a campanhas intensas de vacinação, muitos são os que não sabem o destino de suas carteirinhas de vacinação ou sequer lembram se tomaram a vacina ou não. Aí começam as dúvidas: "Posso tomar sem carteirinha? Como sei se já tomei as vacinas?".

É importante guardar a carteirinha, diz o Ministério da Saúde, mas quem perdeu pode recuperar o registro ou até tomar as vacinas básicas do calendário novamente caso isso não seja possível. Também qualquer brasileiro pode ir até uma sala de vacinação e tomar o imunizante mesmo sem a carteirinha em mãos.

Embora seja importante o registro para controle individual e também para não dispender recursos públicos com vacinas repetidas, não há prejuízo à saúde de tomar o imunizante novamente, sinaliza Flávia Bravo, presidente da SBIm no Rio de Janeiro.

Perdi a carteirinha de vacinação. Tem como recuperar?

Sim, responde o Ministério da Saúde. Quem perdeu o cartão de vacinação deve procurar o posto de saúde onde recebeu as vacinas para resgatar o histórico de vacinação e fazer a 2ª via da carteirinha.

Se eu não conseguir a 2ª via, qual a recomendação?

É possível tomar as vacinas novamente de acordo com a faixa etária e indicações. O Ministério da Saúde recomenda consultar o Calendário Nacional de Vacinação na Unidade Básica de Saúde ou no site do ministério ou ir a um centro de imunização e solicitar a revacinação.

Se eu tomo a vacina na rede privada, essa vacina entra no registro do Ministério da Saúde?

O Ministério da Saúde diz que clínicas e unidades privadas também podem ter acesso ao SI-PNI (Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações) gratuitamente, mas isso vai depender da adesão de cada clínica.

Essa adesão permite o conhecimento real sobre a situação vacinal da população que busca as unidades particulares para se vacinar, contribuindo para o monitoramento e acompanhamento das coberturas vacinais no país", diz o ministério.

Para controle individual, no entanto, é imprescindível guardar o comprovante e anexar junto à carteirinha de vacinação.